Eleições no Brasil - Há um passo atrás dos EUA


#1

Em novembro de 2018 elegeremos novo presidente no Brasil, e seguindo o fenômeno mundial de inclinação política para a direita estamos prestes a eleger um presidente ultraconservador, homofóbico, machista, etc. e etc…

Capitão reformado da reserva militar, Jair Messias Bolsonaro, cumpre seu sétimo mandato na Câmara de Deputados em Brasília e está em segundo lugar nas pesquisas atrás de Lula da Silva que está preso por corrupção e provavelmente não poderá disputar as eleições.

Poderia parecer um absurdo completo tudo isso, não fosse os reais escândalos de corrupção envolvendo o ex presidente Lula da Silva, o último governo de Dilma Rousseff ter sofrido impeachment por improbidade administrativa e a consequente derrocada da esquerda no Brasil.

Mas não é só isso, como bem explicado por Ken Wilber em seu texto “Trump Em Um Mundo Pós-Verdade - Uma autocorreção evolucionária”, uma necessária autocorreção deve se realizar no âmbito político, levando-se em conta a completa falta de direcionamento de uma esquerda arrogante e exacerbadamente relativista.

Bolsonaro não seria o candidato dos sonhos pra nenhum integralista, porém ele representa aquela faixa da população que estava não só adormecida, mas de fato reprimida pela esquerda progressista. A população “âmbar” tem em Messias Bolsonaro sua voz reconhecida e mais, a abertura política para um liberalismo econômico!

Obviamente que a esquerda está enfurecida, quase todos os meus amigos progressistas esbravejam contra o novo candidato de direita ultraconservador, homofóbico, machista, etc. e etc., porém ele de fato representa uma ruptura importante com a ideologia socialista implantada na economia e com os ideais progressistas postos goela abaixo, que, em verdade, massacram nosso povo econômica e moralmente.

O futuro, de certo, pertencerá a todos aqueles que entendendo tudo isso tomarem uma nova postura moral e econômica ao reconhecer as várias matizes e modelos além do progressismo e do socialismo.

Translated text in Google Translate:

Elections in Brazil - One Step Behind US

In November 2018 we will elect a new president in Brazil, and following the worldwide phenomenon of political leanings to the right we are about to elect an ultraconservative, homophobic, macho president, etc. and etc…

Retired military reserve captain Jair Messias Bolsonaro is serving his seventh term in the Chamber of Deputies in Brasilia and is second in polls after Lula da Silva is in jail for corruption and probably will not be able to run for election.

It would seem complete absurdity if it were not for the real corruption scandals involving former President Lula da Silva, Dilma Rousseff’s last government having been impeached by administrative impropriety and the consequent overthrow of the left in Brazil.

But it is not only this, as well explained by Ken Wilber in his text “Trump in a Post-Truth World - An Evolutionary Self-Correction,” a necessary self-correction must be made at the political level, taking into account the complete lack of direction of an arrogant and exacerbated relativist left.

Bolsonaro would not be the dream candidate for any Integralist, but he represents that part of the population that was not only asleep but actually suppressed by the progressive left. The “amber” population has in Messias Bolsonaro his recognized voice and more, the political opening for an economic liberalism!

Obviously the left is enraged, almost all my progressive friends are raging against the new ultra-conservative, homophobic, macho, right-wing right-wing candidate. and so on, but in fact it represents a major break with the socialist ideology implanted in the economy and with the progressive ideals thrown down, which actually massacre our people economically and morally.

The future, of course, will belong to all those who understand all this to take a new moral and economic stance in recognizing the various shades and models beyond progressivism and socialism.